discovery

Discovery: Saiba o Que É e Qual sua Importância Para Qualquer Empresa

janeiro 10, 2022
04:01

Você já deve ter visto ou pelo menos deve conhecer produtos que falharam ao tentar inserir-se no mercado, certo?

Não lembra de nenhum? Tudo bem. Vou te dar um exemplo clássico que talvez você não conheça:

Em 1987 a Apple lançou o Newton, um assistente pessoal que chegou a ser comercializado no Brasil e teve até alguns compradores. Entretanto, com a falta de praticidade do produto devido ao seu tamanho e peso, somados as falhas do sistema, o Newton logo deixou de ser comercializado, tornando-se obsoleto no mercado da época.

 Newton Message Pad, lançado pela Apple em 1993.

Esse exemplo estranho, que vem de uma das principais empresas de tecnologia da atualidade, nos mostra a importância de verificar se uma solução será realmente eficaz e interessante para o consumidor final. É exatamente aí que entra o Discovery.

O QUE É DISCOVERY

Popularmente conhecido como Product Discovery, podemos resumir esse termo como um processo que permite realizar um estudo, através de dados, sobre um produto, serviço, projeto, campanha ou qualquer coisa que precise ser validada, antes de ir para o mercado oficialmente.

Sabemos que existem sempre incertezas quando se trata de tomar decisões sobre produtos. Não é à toa que muitos estão por aí sem utilidade alguma.

Isso acontece porque a maioria das empresas que falham na hora de lançar algo, não deram a atenção necessária ao usuário durante seu desenvolvimento. O que geralmente resulta em “soluções” que não solucionam nada, para ninguém.

Por isso a importância de aplicar o processo de Discovery e estudar a aceitação de um produto antes de desenvolvê-lo.

COMO O DISCOVERY GERA VALOR AO SEU NEGÓCIO

A implementação do Discovery agrega valor à sua empresa, através da compreensão dos reais problemas do seu consumidor e suas principais necessidades.

E se engana quem pensa que ele deve ser utilizado apenas para lançar algo novo ao mercado. A descoberta pode e deve ser aplicada mesmo a produtos e serviços já existentes, justamente para medir a percepção do usuário sobre ele.

Além disso, a principal razão pela qual você precisa entender o seu problema, provar hipóteses e ideias antes de começar a alocar uma equipe para trabalhar nela, se deve pela maneira onde os recursos serão alocados, ou seja, dinheiro, tempo e pessoas.

O método aumenta muito as chances de desenvolver soluções que consigam de fato se estabelecer no mercado de forma muito mais previsível, gerando retorno de capital conforme esperado.

COMO APLICAR O DISCOVERY

Há uma infinidade de atividades que podem ser feitas no Discovery. Para aplicá-lo de forma eficaz, é preciso entender com profundidade o contexto dos seus clientes, entrevistá-los, observá-los, torná-los parte ativa de todo progresso.

Logo, o primeiro passo é envolver mais pessoas na etapa de descoberta para criar diferentes perspectivas sobre o que será (ou não) desenvolvido.

Comentaremos sobre cada uma das principais etapas desse processo, mas antes, precisamos dividi-las em dois grandes níveis: “Problem Space” e “Solution Space”.

Ambas são formadas a partir do entendimento do negócio e cliente, com a concretização de soluções que devem ser testadas junto do usuário. Confira:

1.         Alinhamento

Nesta fase, definimos os objetivos do projeto e alinhamos expectativas com todo time que fará parte da descoberta. Para isso, podemos utilizar a ferramenta de OKR (Objectives e Key Results).

2.         Pesquisa

Essa é uma das etapas mais importantes de todo o processo. Nela, realizamos o UX RESEARCH, uma pesquisa aprofundada sobre o usuário e seus comportamentos. Para isso, utilizamos geralmente dados empíricos, qualitativos e quantitativos.

3.         Ideação

Nesta fase ocorre uma espécie de brainstorming entre os integrantes do processo de descoberta. São criadas diferentes hipóteses e as ideias são apresentadas sem pré-julgamento.

4.         Prototipação

Etapa de aplicação das ideias debatidas na fase anterior, onde se desenvolvem os protótipos para testar as soluções e hipóteses discutidas anteriormente.

Durante essa etapa, é essencial continuar com as pesquisas e manter o diálogo aberto com a coleta de feedbacks do usuário.

5.         MVP

Por fim, temos a etapa de transformação do protótipo em produto, quando após validarmos hipóteses, escolhemos a que melhor soluciona as dores do usuário para transformá-la em um MVP (Minimum Viable Product).

Em outras palavras, desenvolvemos a primeira versão do produto apenas com os recursos essenciais para o seu funcionamento, visando conhecer a reação do mercado.

CONCLUSÃO

O Discovery é essencial para a construção de soluções que realmente atendam o mercado e gerem valor para o usuário.

A não implementação desse processo pode resultar em produtos e serviços sem usabilidade alguma, que não despertam o desejo do consumidor.

Mas não é uma tarefa fácil e exige a expertise de profissionais que realmente entendem a fundo as etapas e as ferramentas a serem utilizadas em cada uma delas.

Maysa Barbosa

Content Strategist

Inscreva-se em
nossa newsletter

E receba por e-mail nossos conteúdos exclusivos

    pt_BR